Ligue Agora

26 de abril de 2021

Hérnia Discal: O que é?

A Hérnia Discal corresponde a um deslocamento de parte do disco intervertebral para fora da sua localização anatómica normal, podendo comprimir as estruturas nervosas vizinhas, causando dor e alterações neurológicas.

Os discos intervertebrais são estruturas esponjosas e fibrosas, que se localizam entre cada vértebra da coluna vertebral. Estes funcionam como um amortecedor, cujo objectivo é absorver impactos e evitar o atrito entre as estruturas ósseas, garantindo a sua mobilidade.

O disco intervertebral é dividido em duas partes: um anel fibroso mais externo e um núcleo pulposo. Entender a estrutura do disco contribui para a compreensão da diferença entre protrusão discal e hérnia discal.

Quando ocorre o desgaste do disco intervertebral e o anel fibroso não é rompido, temos o quadro denominado protusão discal. Por sua vez, se o núcleo pulposo que constitui a parte central do disco intervertebral, ultrapassa o anel que o envolve (havendo o rompimento do anel fibroso circundante, temos um quadro característico de hérnia discal. Conforme a sua localização na coluna vertebral, designa-se por hérnia discal cervical, dorsal (ou torácica), e lombar.

Sintomas

Hérnia Cervical

  • Dor e/ou dormência nas mãos, braços e/ou no pescoço
  • Alterações da sensibilidade
  • Fraqueza muscular na zona superior do corpo

Hérnia Dorsal ou Torácica

  • Dor na zona dorsal e torácica
  • Perda de força no tronco e membros inferiores
  • Alteração do padrão de marcha

Hérnia Lombar

  • Dor contínua ou intermitente nas costas
  • Dor irradiada ao membro inferior, atingindo a perna e o pé
  • Fraqueza muscular e/ou dormência na zona inferior do corpo

Causas

Dependendo do envelhecimento e da carga exercida sobre os discos intervertebrais, estes sofrem um processo de degenerescência que consiste na:

  • Perda do seu elevado índice de água;
  • Perda da elasticidade e da capacidade para amortecer as cargas.

Estudos por ressonância magnética mostram que aos 35 anos, cerca de 30% da população já apresenta alguma degenerescência discal, sendo que, aos 60 anos esta percentagem ronda os 90%.

O desgaste natural das vértebras como resultado de movimentos repetidos ao longo do tempo, bem como o suporte de cargas excessivas são as causas principais de degenerescência dos discos intervertebrais e hérnia discal. Os discos da coluna vertebral perdem parte do seu núcleo pulposo como parte do normal processo de envelhecimento. Essa redução no fluido torna-os menos flexíveis e mais propensos à hérnia.

A Hérnia Discal tem cura?

Em condições normais a hérnia discal não tem cura, no entanto em mais de 90% dos casos, os sintomas regridem ao fim de 4 a 6 semanas. Na fase inicial pode ser tentado um tratamento conservador (tratamento da dor e posterior estimulação muscular), e apenas em casos excepcionais se recorre a procedimentos cirúrgicos. Assim, entende-se que o objectivo do tratamento em pacientes com hérnia discal é melhorar a estabilidade da coluna vertebral, prevenindo os sintomas e a progressão da doença. Além da Terapia de Bowen, fazer exercícios físicos específicos de forma regular é muito importante, assim a Fisioterapia, o RPG (reeducação Postural Global), Pilates e Yoga podem contribuir para o alívio das dores e o estímulo da mobilidade das zonas afectadas.

Prevenção

  • Usar técnicas adequadas para levantar pesos. Não dobrar a cintura, mas sim os joelhos, usar os músculos das pernas, mantendo as costas direitas;
  • Manter um peso equilibrados e saudável. O excesso de peso aumenta a carga na região lombar;
  • Manter uma postura correcta ao caminhar, ao sentar-se, ao ficar em pé e a dormir;
  • Fazer frequentemente exercícios de relaxamento e alongamentos quando se estiver sentado durante muito tempo;
  • Evitar sapatos de salto alto;
  • Fazer exercício físico regular, tonificando os músculos das costas, pernas e abdominais.

Hérnia Discal e a Terapia de Bowen

A Terapia de Bowen é uma prática terapêutica complementar que consiste na aplicação de movimentos suaves na superfície da pele, em pontos-chave do corpo. Estes têm como principal finalidade quebrar padrões de dor (muscular, óssea e tendinosa), aliviar tensões acumuladas e induzir de forma natural o relaxamento e o reequilíbrio do corpo.

A experiência tem mostrado que apesar da técnica se basear em movimentos suaves, aplicados no tecido conjuntivo superficial, conseguem-se resultados concretos e duradouros no tratamento das patologias do disco intravertebral (protrusões e hérnias discais), providenciando uma resposta eficaz e rápida na diminuição da pressão na zona do disco afectado.

A maioria dos pacientes sente um imediato alívio da dor logo após a primeira sessão, mas normalmente são necessárias 4 a 6 sessões para providenciar resultados mais permanentes (em função da circunstância de cada pessoa e da severidade do problema).

© Copyright 2020 Terapia de Bowen - Todos os direitos reservados - Feito por 4Leads
crossmenu